CONSTRUIR A PAZ NO LUGAR DE COMBATER A VIOLÊNCIA

       Diante da pergunta: quem deseja a paz, obtém-se resposta afirmativa de todos os interrogados. Se todos desejam por que não temos a paz.

    Esse paradoxo encontra explicação quando são considerados dois equívocos em relação à conquista da paz. Cobra-se a paz dos outros e busca-se a paz combatendo a violência.  

      Tanto na colheita de cenouras como na colheita da paz é necessário que haja semeadura. Isso faz parte da lei de causa e efeito, à cada um será dado segundo suas obras. Dessa forma, teremos paz segundo nossa semeadura  através de nossos atos, palavras e pensamentos.

      Como poderemos ter paz combatendo a violência? O que é semeado com essa ação? A conclusão é que ao combater a violência mais violência é semeada.

      Isso não representa uma proposta para a ausência coercitiva dos controles sociais exercidos pelos governos. O uso da força nos casos de contenção pode ter como base o ódio e a raiva ou expressar apenas competência de seus agentes. A ação estatal está mais para combater o fogo  através do uso do fogo.      

        Queremos e teremos paz porque ela depende exclusivamente de nós mesmos, ainda que estejamos em ambientes onde haja muita violência. Aquele que semeia apenas paz alcançará a paz em qualquer condição.