VALORES PARA A CONVIVÊNCIA – CONFIANÇA

CONFIANÇA - Unknown Artist
00:00 / 00:00

O QUE PODEMOS ENTENDER POR CONFIANÇA?

 

Quando nos referimos à confiança nas pessoas, entendemos algo assim como "a tranquilidade diante de alguém que eu espero que se porte bem". Dito de outro modo, "a segurança que me dá o caráter, a capacidade, a boa-fé, a discrição... de alguém", entendendo que essa pessoa possa ser "eu mesmo".

Temos aqui esboçadas as duas vertentes da confiança; a confiança em si mesmo e a confiança nos outros.

Os pais devem favorecer ambos os aspectos nos seus filhos, já que dificilmente eles poderão ter confiança nos outros se não têm confiança suficiente em si mesmos.

 

Confiança em si mesmo e confiança nos outros

 

POR QUE É IMPORTANTE QUE TENHAMOS CONFIANÇA?

 

A pessoa que confia em si mesma e nos demais:

• É mais tranquila.

• Relaciona-se melhor com os outros.

• Gosta de trabalhar em equipe.

• É capaz de empreender tarefas mais árduas.

• Aumenta sua capacidade ante a frustração.

• Considera os fracassos superáveis e instrutivos.

A autoestima é vital para o equilíbrio emocional, de tal modo que uma pessoa com baixa autoestima pode chegar a não ter identidade e rechaçar a si mesma, em maior ou menor grau.

Quem tem uma autoestima muito baixa tende a proteger-se levantando barreiras defensivas: são aqueles que estão sempre de mau humor, ou que se culpam a si mesmos ainda que não haja razão para isso, ou que têm um afã perfeccionista desmesurado e sempre estão pedindo desculpas.

 

Como e quando educaremos na confiança?

 

A resposta básica sobre a maneira de educar neste valor é simples: devemos mostrar confiança em nossos filhos. Esta é a regra de ouro, mas há uma condição prévia: é preciso que tenhamos primeiro confiança em nós mesmos e nos demais.

Sobre o quando educar, a resposta é: desde a mais tenra idade; a confiança é um valor que pode ser transmitido desde o berço.

 

O que pensamos de nós mesmos nos faz felizes ou infelizes

 

PARA QUE OS FILHOS ADQUIRAM CONFIANÇA EM SI MESMOS

 

 

 

SENTIR-SE SEGUROS

o Distinguir entre o bem e o mal para eles.

o Ter normas razoáveis que lhes sirvam de guia.

o Conhecer a conduta por onde se guiar.

o Oferecer critérios de atuação comuns ao pai e à mãe.

o Reforçar hábitos praticados e valorizados na família.

o Dar sentido positivo ao que lhes acontece na vida.

 

SENTIR-SE CAPAZES

o Propor-lhes objetivos adequados.

o Ressaltar e se alegrar com os êxitos de suas experiências.

o Fazê-las perceber que os mais velhos nem sempre alcançam seus objetivos.

o Ajudar-lhes a traçar objetivos.

o Elaborar estratégias para consegui-las.

o Não desanimar ante os fracassos e procurar soluções para eles.

 

SENTIR-SE IMPORTANTES

o Crer que podem conseguir o que planejam.

o Dispor do que necessitam para chegar a isso.

o Saber tomar decisões (e deixar que as tomem!).

o Saber solucionar problemas.

o Reconhecer e respeitar quando estão angustiados.

o Saber diferenciar as gratificações e os gostos.

 

SENTIR-SE ÚNICOS

o Saber que podem fazer coisas que os outros não fazem.

o Sentir que são considerados pessoas especiais.

o Ser capazes de expressar-se como são.

o Desfrutar de que todo mundo seja diferente.

o Ter habilidades reconhecidas como especiais.

o Ter hobbies diferentes.

 

SENTIR-SE ACOMPANHADOS

o Sentir-se amados pelo que são.

o Comprovar que se dedica tempo a eles e compartilhá-lo intensamente.

o Relacionar-se com outras pessoas de sua idade.

o Identificar-se com grupos concretos.

o Seguir de bom grado as normas do grupo.

o Orgulhar-se de pertencer ao grupo.

 

UM AMBIENTE DE CONFIANÇA EM CASA

 

• Onde haja mais alegrias que tristeza.

• Onde se possa falar sobre tudo; não há temas proibidos nem tabus.

• Onde se escute, respeite e valorize a opinião de todos.

• Onde as razões sejam instrumentos básicos de imposição mútua.

• Onde não haja dogmatismos gratuitos, mas convicções racionais sempre sujeitas a revisão.

• Onde jamais se diga: "Cale a boca!".

• Onde todos possam expressar opiniões, sem desqualificações a priori.

• Onde todos possam se expressar e satisfazer seus gostos pessoais sem outras limitações que não

   as da convivência.

• Onde se reconheça, valorize e ressalte os pequenos êxitos e as boas intenções de cada um.

• Onde se julgam os fatos, não as pessoas.

• Onde primeiro se elogia e depois, se necessário, faz-se a correção necessária.

• Onde nunca se suponha má intenção em ninguém.

• Onde se conte com a participação insubstituível de cada membro da família.

 

FRASES CÉLEBRES

 

-A sorte ajuda aos que se atrevem. (Terêncio, comediógrafo latino; Virgílio, poeta latino; Sêneca, filósofo latino)

- O homem vale na mesma medida em que ele se ama. (François Rabelais, escritor francês)

- Observei que os homens são tão felizes quanto se propuseram a sê-Ia. (Abraham Lincoln, político norte-americano)

-A confiança em si mesmo é o primeiro segredo do êxito. (Ralph Waldo Emerson, filósofo norte-americano)

- É infinitamente mais bonito deixar-se enganar dez vezes do que perder uma só vez a confiança na humanidade. (Heinrich Zschokke, escritor suíço)

 

Satisfeitos com nossas qualidades, podemos tirar delas o máximo proveito

 

FÁBULAS

 

O veado na fonte (Esopo)

 

Um veado sedento aproximou-se de uma fonte e, depois de ter matado a sede, contemplou a bela imagem refletida na água. Estava satisfeito com seus chifres, que eram enormes e retorcidos, mas estava descontente com suas patas, muito compridas e finas. Enquanto se olhava, apareceu um leão e começou a persegui-lo. O veado saiu correndo e tomou a dianteira. Enquanto a mata era aberta, ele correu mais que o leão e escapou ileso; mas, ao entrar no bosque fechado, seus chifres se enroscaram nos ramos, ele não pôde mais correr e o leão o alcançou. O veado, então, pôs-se a lamentar:

"Pobre de mim, que acreditava não poder confiar nas minhas pernas, quando foram elas que me salvaram; os chifres, ao contrário, nos quais eu tanto confiava, me puseram nas garras do leão".

Frequentemente, no perigo, os amigos em quem não confiávamos são os que nos salvam.

 

O apicultor (Esopo)

 

Um homem entrou na casa de um camponês quando este não estava e roubou-lhe todo o mel que suas abelhas haviam produzido. Ao voltar para casa, o camponês viu as colmeias vazias e foi olhar de perto o ocorrido. Nisso chegaram as abelhas e o atacaram ferozmente, causando-lhe muita dor. O apicultor lhes disse:

"Animais miseráveis, vocês deixaram escapar o ladrão que lhes roubou o mel e ferraram a mim, que cuido de vocês há tantos anos?".

Há pessoas que por ignorância não confiam nos amigos, pensando que eles lhe querem mal.

 

COISAS QUE NÃO DEVEMOS DIZER NEM PENSAR

 

• Pode tentar, mas eu o aviso de que não vai conseguir.

• Joãozinho, você é um desastre, não faz nada direito.

• Você vai se dar mal, como sempre.

• Nem tente; vai se dar mal com certeza

• Não se pode confiar em você.

• Filha, você não presta para nada.

• Eu sabia que você ia fracassar; você não melhora nunca.

• Como posso confiar em você? Quando você vai aprender?

• Filho, como você é azarado!

 

TAMPOUCO COMENTEMOS, NEM POR BRINCADEIRA

 

• Não confie nunca em ninguém; as pessoas só querem lhe enganar.

• Pense sempre o pior que você acerta.

• Se você não se cuidar, ninguém cuidará de você.

• Das pessoas, você só pode esperar traição.

• É melhor enganar do que ser enganado.

• Não confie... nem no seu pai.

• Todo mundo é mentiroso.

 

Sei que tenho valor; quando os outros me valorizam

 

ATIVIDADE

 

A ESTRELA

 

Temos que ter um número par de pessoas. Sentamos no chão, formamos um círculo e nos damos as mãos, com as pernas abertas e separadas e os braços quase esticados.

As pessoas pares se inclinam para a frente e as ímpares, para trás. Deve-se deixar cair o corpo para a frente e para trás suavemente, até conseguir o ponto de equilíbrio em que os dois grupos se sustentem mutuamente. Podemos alternar os que se inclinam para a frente e os que se inclinam para trás.

 

COMENTÁRIO

 

Depois de jogar "A estrela" por um tempo não muito longo, pode-se iniciar uma rodada de perguntas e respostas:

a) Por que não caímos? Porque confiamos nos demais e eles, em nós.

b) Por que na vida cotidiana é tão difícil confiar nos outros? Não se trata de ocultar a realidade, mas de tentar melhorá-la.

 

OBSERVAÇAO

 

Qualquer jogo que consista em apoio físico mútuo fará com que adquiramos confiança nos que estão ao nosso redor: "Nós o sustentaremos; nós não o deixaremos cair; confie em nós; confie nos outros, você é muito importante para que o deixemos cair".

 

INTENÇÃO

 

O objetivo é que os filhos comprovem que sabem fazer muitas coisas. Também comprovarão que outras coisas eles ainda não sabem fazer, mas com o tempo saberão. Na lista abaixo encontraremos alguns exemplos.

 

SOU IMPORTANTE

 

Podemos elaborar com nossos filhos uma lista de coisas que eles sabem fazer.

Em primeiro lugar, deixaremos que digam tudo que lhes vêm à mente para depois inserirmos nossas propostas.

Entre as propostas haverá muitas que já podem fazer e outras que ainda não.

 

EXEMPLOS:

Sei nadar.

Sei contar piadas.

Sei trabalhar no computador.

Sei andar de bicicleta.

Sei cuidar das plantas.

Sei varrer.

Sei montar um quebra-cabeça.

Sei amarrar os cordões dos sapatos.

Sei escrever o meu nome.

 

CARINHOS FORTUITOS

 

Deixe por escrito, em lugares pessoais (debaixo da almofada, debaixo do prato, debaixo do guardanapo...), mensagens escritas em que se agradece um favor, se reconhece um mérito, elogia-se um gesto, felicita-se por algo. Pode ser um bilhete carinhoso: "Joãozinho, queremos que saiba que papai e mamãe se sentem muito felizes com você", ou "Estamos orgulhosos de você". Pode-se sugerir que também eles possam tomar a iniciativa e fazer o mesmo.

 

CUIDADO

 

É evidente que não se pode banalizar esta atividade. Deve ser algo excepcional, ou melhor, inesperado, do contrário perderia a eficácia e poderia, inclusive, chegar a criar certa obrigação onerosa e contraproducente.

 

MEU CURRÍCULO

 

Junto com nossos filhos, faremos o seu currículo. Nessa idade eles já podem ter um currículo em que, além dos dados pessoais, constem todos os seus méritos (estudos realizados, quando e onde, algum diploma que tenham merecido, cursos que tenham realizado, países ou lugares importantes que tenham visitado, concursos de que tenham participado, hobbies notáveis que desenvolveram, museus e exposições que visitaram, esportes que praticam, algum troféu ou prêmio que tenham recebido, habilidades especiais ...)

 

SUGESTÕES

 

Lembremos que periodicamente este currículo deverá ser atualizado (por exemplo, ao término de um curso), ou sempre que algo interessante possa ser acrescentado. Se ele for feito no computador, não nos esqueçamos de imprimir uma cópia atualizada para que nosso filho possa tê-la sempre à mão.