CULTIVAR RELACIONAMENTOS E AMIZADES

Cultivar relacionamentos e amizades - Unknown Artist
00:00 / 00:00

 

SEMELHANÇA ENTRE O CULTIVO DE PLANTAS E DOS RELACIONAMENTOS

 

            Há grande semelhança no cultivo de plantas e de relacionamentos. As sementes normalmente abundantes representam as inúmeras pessoas que encontramos ao longo de nossa vida. A germinação se dá em curto espaço de tempo, porém o cuidado posterior exige atenção e muita dedicação para que a pequena muda se transforme em uma planta e o contato inicial com as pessoas em vínculos de relacionamento. A planta poderá ganhar a forma de frondosa árvore e os vínculos de relacionamentos podem ser o primeiro passo para que sejam vínculos de amizade.

 

MILHARES DE PESSOAS PASSAM POR NOSSA VIDA

 

            Quantas pessoas já passaram e ainda passarão em nossa vida?

            Muitas não vão além de um único contato, chegam e se vão para sempre, outras comparecem de forma intermitente e requerem alguma atenção.

            Uma grande quantidade de pessoas permanece no horizonte de nossos relacionamentos por uma determinada temporada, como ocorre no ambiente de trabalho e nas escolas que frequentamos além de outras situações.

            Há, entretanto, pessoas que chegam em nossa vida e permanecem para sempre. São poucas, porém muito especiais. São plantas que precisam de cultivo permanente para não secar e que produzam flores e frutos.

            Os relacionamentos mais importantes são aqueles que unem os membros de uma família, devem se estender por longo prazo. Os vínculos entre os cônjuges devem ser fortes diante de situações difíceis e capazes de suportar a espera do que necessita de muito tempo para se concretizar.

            Os laços familiares marcados pela amizade e pelo amor contribuem para que a cooperação prevaleça sobre os interesses individuais.

 

O PROPÓSITO DOS ENCONTROS

 

            O propósito de tantas pessoas passarem por nossa vida é para que tenhamos a oportunidade de manifestar de nosso íntimo a condição de amar. O progresso do ser humano depende da vida em sociedade, portanto da relação entre as pessoas.

            A recomendação de amar o próximo deve ser tomada como a principal diretriz da vida e somente pode se concretizar na convivência entre as pessoas. Para isso todos devem alcançar excelência nas habilidades de relacionamento.

            Essa excelência representa a capacidade de conquistar as pessoas como amigas e de poder exercer influência harmoniosa e de qualidade. Influência com o poder de inspirar e motivar as pessoas que nos cercam no lar, no ambiente de trabalho e nas mais diferentes situações da vida.

            Excelência que nos habilite a saber pedir e sermos bem sucedidos em nossas solicitações em vez de impormos exigências que para produzirem efeito precisam do reforço de punições e de outras formas de constrangimento. A culpa, vergonha e o medo são constrangimentos que impedem a criação de vínculos de amizade ou que destroem o que tiver sido edificado.

            A influência exercida pelos atos, palavras e pensamentos é harmoniosa e de qualidade desde que tenha como orientação básica a “Lei de Ouro: faça aos outros o mesmo que quer para si próprio”.

 

COMO PROCEDER NA CONVIVÊNCIA COM AS PESSOAS

 

            Podemos tratar as pessoas pior do que elas nos tratam, da mesma forma que nos tratam ou tratá-las melhor do que nos tratam.

 

A PIOR OPÇÃO

 

            Tratar os outros pior do que nos tratam é prejudicial aos relacionamentos e ficamos isolados. Além de não haver amizade, podem surgir conflitos e acabamos colhendo segundo a má semeadura que realizamos.

 

A OPÇÃO REATIVA

 

            Quando tratamos as pessoas da mesma maneira que nos tratam, assumimos comportamento reativo. Respondemos segundo os estímulos dos outros, não temos controle de nosso comportamento que só é possível quando a proatividade for nossa orientação.

            Essa postura não é suficiente para atrairmos as pessoas mesmo que não ocorram afastamentos. Trata-se de fazer ao outro o mesmo que nos fazem o que é diferente da “Lei de ouro” que ensina fazer ao outro o mesmo que desejamos para nós.

            Em outros termos, a “Lei de ouro” é recomendação de amar ao próximo enquanto que, ao sermos reativos, poderemos fazer o bem e também o mal. Se nos tratam bem retribuímos com o bem e quando nos tratam mal retribuímos com o mal.

 

A MELHOR OPÇÃO

 

            John C. Maxwell em seu livro “Vencendo com as pessoas” ensina que a melhor opção é o caminho da excelência. Destaca o autor: “O caminho da excelência é, na verdade, a trilha menos percorrida. Digo isso porque pegar o caminho da excelência exige mentalidade e ações diferentes daquelas às quais estamos acostumados. No entanto, os que colocam o Princípio da Excelência em prática tornam-se instrumentos da graça para os outros e alvo dessa mesma graça. E observei que aqueles que tomam esse caminho da excelência têm várias coisas em comum:

  • Compreende que o mais importante não é o que acontece com você. Mas o que acontece em você. Um homem de sucesso é aquele que pode construir uma sólida fundação com as pedras que os outros jogaram nele. É isso que os viajantes que tomam o caminho da excelência fazem: mantêm-se fiéis a seus valores fundamentais e tratam as pessoas de acordo com eles, e não de acordo com as circunstâncias externas.

  • Compromete-se a se manter nessa estrada o tempo todo.Quase todo mundo pode ser gentil diante da indelicadeza, vez por outra. Bem mais difícil é sustentar uma atitude de excelência o tempo todo.

  • Compreende sua necessidade de receber graça, e por essa razão, estende sua graça aos outros. Graça deve ser entendida como a capacidade de perdoar, compreender e ser tolerante.   Não é vítima: serve aos outros por opção própria. Quem toma o caminho da excelência estabelece para si padrões mais elevados que os outros. Gente que toma o caminho da excelência não faz isso porque só tem essa alternativa. Age assim porque quer, de acordo com o desejo de servir aos outros.

  • Estabelece para si padrões mais elevados que os outros esperam. Quando permitimos que a nossa vida seja conduzida de acordo com os padrões mais elevados, somos menos propensos a ficar na defensiva e a tomar o pior caminho ao ser alvo de ataques. Quando alguém sabe que fez tudo o que podia, então é capaz de não se deixar abalar pelas críticas.

  • Revela o que há de melhor nos outros. Goethe disse: “Trate as pessoas como se fossem o que deveriam ser e as ajudará a ser o que são capazes de se tornar”.

  • Revela o que há de melhor em si mesmo. Tornar uma prática constante a disposição de tratar os outros da melhor maneira possível pode influenciar sua maneira de enxergar o mundo e a si mesmo.